Adriana Lins, psicóloga/Foto: Acervo pessoal

Conversamos com a psicóloga Adriana Lins

*Por Priscila Dias

Seguindo com a “Semana de medicina e prevenção contra acidentes do trabalho”, dentro das celebrações do Abril Verde, entrevistamos Adriana Lins, psicóloga de formação, que falou um pouco sobre o fenômeno do estresse no local de trabalho. Ela fará, no final da tarde desta quarta (28), às 17 horas, uma live, com transmissão pelas redes digitais do Sindspef, onde se aprofundará no assunto. Aqui fica só um aperitivo. 

O que o estresse causa no corpo? Quais são os sintomas físicos e emocionais?

O estresse é considerado um dos maiores males vividos na atualidade e mais ainda quando está relacionado ao ambiente de trabalho. É um agravo que afeta as funções fisiológicas e psíquicas como, por exemplo:

  1. Queda de cabelo;
  2. Problemas dermatológicos como alopércia e psoríase;
  3. Hipertensão;
  4. Depressão;
  5. Crise de ansiedade ou de pânico;
  6. Dores (cabeça e no estômago)
  7. Abuso de álcool ou outras drogas

Tem também uma síndrome relacionada ao estresse no trabalho. A Síndrome do Burnout, que é causada pela exaustão extrema e que afeta todas as áreas da vida de uma pessoa. Durante a pandemia um número alto de mulheres desenvolveram essa síndrome.

Com ou sem pandemia, as pessoas já conviviam com estresse. Porém, diante deste agravante, o que você tem percebido no comportamento das pessoas, com esse problema?

A pandemia agravou e acentuou o estresse relacionado ao trabalho tendo em vista a necessidade de readaptação ao que chamamos “novo normal” que trouxe a atividade laboral para dentro de nossas casas, somado ao medo da doença e à insegurança econômica advinda dessa situação.

Para as mulheres, foi ainda mais forte e contundente, pois, historicamente, elas já acumulam distintas jornadas de trabalho e o isolamento social as deixou mergulhadas numa exaustão física e mental com o acúmulo de atividades com a casa, os filhos e o trabalho em home office.

Dentro do ambiente de trabalho, no dia a dia, existem problemas. De acordo com este fato, o que pode ser feito pela empresa para amenizar o estresse do funcionário, tentando evitar a queda no seu rendimento?

Os empregadores, sejam públicos ou privados, podem e devem ser sensíveis à questão do estresse no trabalho, pois esse problema gera custos não somente para o indivíduo, como para as empresas e para a sociedade.

No ambiente de trabalho alguns aspectos podem ser priorizados e adequados como fatores geradores de bem estar e boa produtividade, dentro de uma organização responsável do trabalho. Assim, melhorias nas condições do ambiente de trabalho; maior autonomia para os funcionários; melhores prazos para os resultados; planejamento das ações; incentivos (financeiros e para uma vida saudável também); valorização; proporcionar momentos de descontração (comemoração de aniversariante do mês, por exemplo); incentivar atividades em grupo e busca do equilíbrio entre as necessidades e os desejos de todos.

Qual a sua sugestão para que a pessoa possa aliviar o estresse dentro do ambiente de trabalho?

Buscar maior interação sempre que possível, delegando funções e planejando de forma coletiva. Organizar as tarefas de modo que possa iniciar e terminar cada atividade proposta. Buscar momentos de prazer e diariamente fazer coisas que goste.

*Estagiária Agência AB.