Plenário/Foto: Reprodução TV Câmara

Projeto de Lei 06/2021, de autoria da vereadora Priscilla Canedo, foi aprovado por 19 votos a 2

Ontem (21), numa sessão tumultuada, que tinha tudo para ser tranquila, os vereadores aprovaram o Projeto de Lei 06/2021, de autoria da vereadora Prisicilla Canedo (PT) que prioriza os trabalhadores da Educação e da Segurança no programa de imunização do município.

Isso é uma ótima notícia que chega em boa hora. Mas vale ressaltar que essa iniciativa local se junta à orientação federal, através do Ministério da Saúde, de incluir de imediato trabalhadores da área de segurança no grupo prioritário de vacinação contra a covid-19.

Orientação essa da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde distribuída aos entes federativos no Ofício de Nº 57/2021/SVS/MS publicado já em 12 de março.

Este sindicato, alertou, sinalizou isso DUAS VEZES ao secretário de Saúde André Vargas que e até agora age como se não fosse com ele.

Ou seja: 𝙏𝙊𝘿𝙊𝙎 𝙊𝙎 𝙂𝙐𝘼𝙍𝘿𝘼𝙎 𝙅Á 𝙀𝙍𝘼𝙈 𝙋𝙍𝘼 𝙀𝙎𝙏𝘼𝙍 𝙑𝘼𝘾𝙄𝙉𝘼𝘿𝙊𝙎!

Em relação aos profissionais da Educação, a iniciativa da vereadora Priscilla Canedo, em coautoria com os colegas oposicionistas e governistas, Prof. Josemar (PSOL), Romario Regis (PCdoB), Juan Oliveira (PL), Glauber Poubel (PSD), Pablo da Água (PT) e Felipe Guarany (PRTB), também vai de encontro à lei semelhante aprovada na Assembleia Legislativa do Rio em 11 de março e sancionada pelo governador em exercício Cláudio Castro (PSC).

A Secretaria Estadual de Saúde (SES), então, elaborou calendário único de vacinação já com a nova diretriz de inclusão dos profissionais de segurança e de educação nos grupos prioritários que começou no início de abril, mas a Secretaria de Saúde de São Gonçalo não aderiu, diferentemente de outros municípios.

Esperamos que o município se harmonize e se alinhe com o Estado e municípios vizinhos no esforço de imunização desses profissionais, na esperança de que o governo federal apresse a aquisição de vacinas o quanto antes para que toda a população seja imunizada.

Ficar refém de políticas de diminuição de danos só potencializa desentendimento, revolta e indisposição entre as pessoas. E o que precisamos agora é de empatia e união num esforço conjunto para superarmos essa crise, a pior de toda a nossa história.

A propósito: o resultado da votação foi de 19 votos favoráveis e 2 votos contra a Lei de priorização dos profissionais de Educação e da Segurança no programa de vacinação contra a covid-19.

Agora a lei aprovada pelos vereadores depende da sanção do prefeito Capitão Nelson Ruas (PL).