Três escolas foram fechadas nesta segunda-feira (12) após confirmação de casos de Covid-19 entre os profissionais de ensino. Isso demonstra ser temerário manter as unidades de ensino funcionando de modo presencial.

Os protocolos se mostraram furados, a despeito da insistência tola da secretária de Educação, Lícia Damasceno, em dizer o contrário. Fica evidente o seu equívoco e de todos que defendem a reabertura das escolas dadas essas condições e com a gravidade ululante da pandemia em São Gonçalo. Só hoje foram 20 óbitos com mais 185 em investigação.

No mundo ideal, não era hora do retorno presencial nas escolas. Porém é a realidade que guia as nossas ações em defesa dos servidores.

E a realidade é que a Semed bateu pé para o retorno presencial dos trabalhadores, e restou a nós do Sindspef cobrar a criação e o cumprimento de protocolos rígidos de segurança dos trabalhadores obedecendo estritamente os mandamentos da Ciência. Como se vê, isso não foi cumprido. E não cumprir esse básico, é dar pouco valor à vida.

Bom, mandamos ofício na terça-feira para Semed pedindo reagendamento de reunião entre setores sindicais, a administração pública, envolvendo também a Secretaria de saúde para discussão profunda sobre os protocolos adotados de retomada das aulas.

Esse encontro de discussão se faz mais do que necessário agora. E esperamos que dessa vez sejamos ouvidos.