Frente da linha da linha de frente da pandemia, trabalhadoras e trabalhadores lutam pela valorização da profissão através de instituição do piso e da jornada de 30 horas

Comemorar? Sim! Porque somos trabalhadores que escolhemos a profissão que amamos. Saiba que todo profissional de enfermagem quando assume seu turno o faz com o compromisso maior de salvar vidas, de dar o melhor de si com amor e responsabilidade.

Porém, precisou vir uma pandemia para escancarar o quanto somos vulneráveis e desvalorizados.

A classe da enfermagem é, de longe, a mais afetada pelas as infecções e mortes por covid-19 em todo mundo e em particular no Brasil, infelizmente líder em número de vítimas fatais pela doença.

Além de estarem na linha de frente ficando mais expostos ao coronavírus, os trabalhadores sofrem com falta de equipamentos de proteção (EPIs), aumentando exponencialmente a angústia e o medo de serem os próximos a ocupar o obituário ou nota de falecimento com pêsames dos amigos.

Queremos aplausos? É evidente que sim! Mas queremos mais direitos e respeito. Queremos piso salarial justo, a jornada de trabalho de no máximo 30 horas e repouso digno, de acordo com projeto de lei 2564 que já tramita no Senado Federal. Não somos robôs!

Além de aplausos, precisamos também de atenção e carinho. Só queremos ser retribuídos com o que damos.

Portanto, neste Dia mundial da Enfermagem é fundamental fortalecer a luta das enfermeiras e enfermeiros do Brasil pela aprovação do PL 2564/20, que estabelece o piso salarial e jornada de 30 horas. Esse deve ser nosso grito de ordem!

Avante companheiras e companheiros!