O mês de abril todas as entidades classistas se unem para celebrar um momento de conscientização e mobilização contra as chamadas “doenças do trabalho”, aquelas adquiridas em seu ambiente laboral e que são intrínsecas a certas profissões quando praticada de modo insalubre.

Doença profissional é a entidade mórbida produzida ou desencadeada pelo exercício de trabalho peculiar à determinada atividade.

A Doença de trabalho é aquela adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relaciona diretamente. De acordo com a Lei nº 8.213/91, conforme redação dada pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999.

São doenças do trabalho, entre outras:
Surdez ou perda auditiva;
Cegueira ou perda da visão;
LER (Lesão por Esforço Repetitivo);
DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho);
Depressão;
Doenças causadas por vírus ou bactérias, por conta da exposição a locais insalubres.
Dermatose ocupacional;
Asma ocupacional;
Síndrome do pânico;
Cânceres por conta de exposição a produtos químicos;
Saturnismo (exposição ao chumbo);
Pneumoconiose;
Estresse ocupacional;
Síndrome de Burnout;
Problemas de visão etc

Também conhecida como doença ocupacional, ocorre em consequência da contínua exibição do empregado aos chamados agentes de risco, podendo ser físicos, químicos, biológicos e radiativos. Esses agentes podem desencadear ou ampliar adoecimentos no organismo do trabalhador quando os limites permitidos por lei são transpostos ou a proteção oferecida não é suficiente para o risco envolvido.

Esse adoecimento se manifesta de modo silencioso e se agrava lenta e progressivamente, iniciado por exercício regular de determinada profissão ou função ligada diretamente à ocupação profissional do indivíduo. Nesse caso, basta a comprovação do vínculo profissional na atividade específica e a existência da enfermidade por perícia médica.

Por ser tratar de doenças de difícil tratamento, incapacitantes ou, até mesmo, mortais, o melhor modo de combate é a prevenção.

O que é doença do trabalho?
A doença do trabalho, também conhecida como mesopatia, resulta das condições do ambiente ocupacional, mas não está ligada a um local específico ou profissão. Essas doenças não são reconhecidas pela Previdência Social, porque não têm um agente causador comum.

Ou seja, o trabalhador é afetado pelo adoecimento devido a um fator particular que se associa à função, mas não é uma regra. Desse modo, é necessária comprovação de que a doença foi desencadeada ou agravada mediante trabalho. Geralmente, isso ocorre porque o local de trabalho é inadequado para a ocupação laboral ou a proteção oferecida é insuficiente.

Nesse caso, é necessário comprovar a origem da patologia: o trabalhador deve demonstrar que foi desenvolvida mediante prestação de serviço de modo precário, ou seja, quando o patrão não fornece equipamentos ou atendimentos específicos necessários à proteção.